(19) 2112-7766 contato@estruturadinamica.com.br
default-logo
Comment are off

O hábito que define o verdadeiro líder no século 21, segundo Bill Gates

Fundador da Microsoft defende uma característica muito fácil de ser reconhecida em líderes inspiradores

 

No imaginário popular, um grande líder é alguém que esbanja carisma. Dentro das empresas, ainda persiste a visão de que bom líder é quem toma boas decisões. Contudo, para o bilionário e fundador da Microsoft, Bill Gates, ser um líder de sucesso está bem mais relacionado a outras características. Ele ficou recentemente impressionado com o livro “Presidents of War”, a respeito de como diferentes presidentes dos Estados Unidos se comportaram durante nove conflitos armados. A partir da leitura, Gates enumerou o que considerou grandes qualidades de líderes durante esses momentos de crise: discernimento, coragem moral, estabilidade emocional e — parte mais interessante — o que ele chama de curiosidade. Isso significa, principalmente, disposição para estudar e aprender com momentos de crise anteriores similares (no caso do livro, guerras). Mas Gates já havia se manifestado antes sobre o que considera uma outra grande característica de liderança, e que pode ser cultivada como hábito.

O destaque em grandes líderes, segundo o bilionário, é a habilidade de capacitar equipes, sobretudo em empresas que acompanham as tendências para o futuro. “Os líderes serão aqueles que empoderam os outros”, afirmou Gates em 2011. Marcel Schwantes, palestrante sobre liderança, trata do tema em artigo no Inc.

O empoderamento significa capacitar sua equipe para os desafios do futuro, dando a eles as ferramentas necessárias para lidar com problemas que, antes, não existiam. Para Gates, essa competência traduz o real significado de liderança eficaz contemporânea. A citação do empresário contradiz a descrição comumente associada a cargos de liderança: a figura que conduz a equipe.

O site seleciona ainda quatro práticas que podem auxiliar coordenadores de equipe a desenvolver a capacidade de se tornarem verdadeiros mentores para seus funcionários — e até líderes. Veja abaixo:

1. Seja tolerante às falhas
A aposta no incerto pode ser a solução mais apropriada durante o caminho rumo à inovação. Aprender com as falhas permite aos líderes e aos funcionários enxergar diferentes oportunidades e propor novas fórmulas de atuação.De acordo com o Inc, o bilionário Richard Branson, por exemplo, promove uma cultura acolhe o fracasso de seus funcionários em sua empresa, a Virgin Group. “Não se sinta envergonhado pelas suas falhas, aprenda com elas e comece de novo. Cometer erros e sofrer reveses faz parte do DNA de todo empreendedor de sucesso, e não sou exceção”, defende o empresário.

2. Crie oportunidades para as pessoas prosperarem
Reconhecer e saber aproveitar, na equipe, os pontos fortes, qualidades e habilidades. “Isso é empoderador para os funcionários, porque eles sentirão que o envolvimento deles em novas iniciativas é realmente importante para o sucesso geral dos negócios”.

3. Aceite discordâncias
É totalmente aceitável que, em um grupo de pessoas, existam discordâncias e diferentes opiniões sobre determinado tema. A ideia do líder diplomático, capaz de reunir toda a equipe em um consenso e lutando em prol de um objetivo comum é, segundo o Inc, uma grande ilusão. Grande líderes permitem pensamentos divergentes e incentivam a diversidade.

4. Compartilhe a liderança
Aumentar a flexibilidade e autonomia da sua equipe também significa dividir a tomada de decisões relevantes e compartilhar desafios nos negócios. Essa prática torna os funcionários mais engajados e alinhados ao propósito da organização. “Quando você faz isso, ganha poder real – sua equipe estará à sua disposição”, diz o Inc.

 

Época Negócios, “O hábito que define o verdadeiro líder no século 21, segundo Bill Gates”. Disponível em: <https://epocanegocios.globo.com/Carreira/noticia/2019>

 

Sobre o Autor